19 de dez de 2010

A vida é simples...

Tem uma frase que está na minha cabeça há mais de uma semana, "A vida é simples, nós a complicamos...", escutei-a há alguns anos de uma grande amiga. É o típico caso de não percebermos a conotação de uma frase pela mesma não estar incluida, ainda,  num contexto. A frase em si é genial.
Tenho 40, ontem estava eu numa balada e de repente veio aquela iluminação "Cara, você tem 40, daqui a pouco terá 50 e depois 60...". Será que tenho mais tempo para complicar a minha vida?
Complicação? Estou fora...

Na verdade, não. Simplesmente não posso mais me dar esse luxo.
Não estou falando de "correr atrás de sonhos", pois isso faz bem e nos ajuda a crescer, mas de termos ações que mais atrapalham que ajudam. Por exemplo, pra que fazer algo que você não está afim só para satisfazer outros? Tudo é tão simples que dá raiva.
Não gosta do seu emprego? Saia (descubra algo em que você seja bom e invista);
Não está satisfeito com o relacionamento? acabe(ou de um jeito de "acabarem" para você);
Não gosta da pessoa? Não conviva (na boa, você não é obrigado a aturar ninguém);
etc etc etc...
Tudo isso é simples, mas não nos damos conta disso e acabamos complicando tudo.
O problema é que na ilusão de "vivermos bem" acabamos entulhando nossa vida de bobagens inúteis. Poxa, será difícil fazer uma faxina?
Claro que não e a beleza está ai. Faça a limpeza. Basta querer (mesmo) começar...
Postar um comentário

19 de dez de 2010

A vida é simples...

Tem uma frase que está na minha cabeça há mais de uma semana, "A vida é simples, nós a complicamos...", escutei-a há alguns anos de uma grande amiga. É o típico caso de não percebermos a conotação de uma frase pela mesma não estar incluida, ainda,  num contexto. A frase em si é genial.
Tenho 40, ontem estava eu numa balada e de repente veio aquela iluminação "Cara, você tem 40, daqui a pouco terá 50 e depois 60...". Será que tenho mais tempo para complicar a minha vida?
Complicação? Estou fora...

Na verdade, não. Simplesmente não posso mais me dar esse luxo.
Não estou falando de "correr atrás de sonhos", pois isso faz bem e nos ajuda a crescer, mas de termos ações que mais atrapalham que ajudam. Por exemplo, pra que fazer algo que você não está afim só para satisfazer outros? Tudo é tão simples que dá raiva.
Não gosta do seu emprego? Saia (descubra algo em que você seja bom e invista);
Não está satisfeito com o relacionamento? acabe(ou de um jeito de "acabarem" para você);
Não gosta da pessoa? Não conviva (na boa, você não é obrigado a aturar ninguém);
etc etc etc...
Tudo isso é simples, mas não nos damos conta disso e acabamos complicando tudo.
O problema é que na ilusão de "vivermos bem" acabamos entulhando nossa vida de bobagens inúteis. Poxa, será difícil fazer uma faxina?
Claro que não e a beleza está ai. Faça a limpeza. Basta querer (mesmo) começar...
Postar um comentário