26 de jun de 2009

CONSIDERAÇÕES SOBRE A MORTE DE WAKO JACKO.




"Michael Jackson era como uma tia velha louca. Daquelas tias queridas que marcaram sua infância e que depois enlouqueceram e foram viver em um manicômio. Você gosta tanto dela que só de pensar no que ela já foi e no que ela é hoje você fica triste. De vez em quando dá aquela saudade e você passa pelo sanatório pra dar um oi… e acaba saindo feliz em vê-la, mas com mais saudades da tia de outrora…" - João Marcelo Bôscoli

A frase acima meio que resume tudo o que penso por hora. Nunca fui fã do cara(pelo menos que eu me lembre) e nunca entendi essa idolatria toda por uma pessoa que, vez por outra, era acusado de pedofilia. Foi com surpresa que recebi a notícia de sua morte. Ele já havia morrido, para mim, há pelo menos uns 15 anos. Foi a primeira vez que concordei com algo dito pela Marimoon (com o aval da Luiza, em tempo). A situação foi a seguinte: Sophia Reis (insossa como sempre) pergunta para Marimoon se ela havia "sentido" a morte do "astro", no que ela respondeu que, para ela, ele já havia morrido há tempos. Na mesma hora a Luiza percebeu que poderia falar a mesma coisa sem ser massacrada e então afirmou que ele "já havia morrido há uns 15 anos".

Então eu percebi do porquê da minha insensibilidade.
Para mim MJ não existia mais e eu não acompanhava a "carreira" do cara. O que mais me enerva em tudo isso são os "fans" de armário que apareceram, só Deus sabe de onde, depois da sua morte.

Podem me chamar de tudo, menos de incoerente, não gostava e pronto. Não é porque o cara morreu que eu tenho que adquirir uma admiração que não existia antes. Fato. Não vou dançar Thriller nem Black or White (e juro que se nos lugares que vou começarem a tocar essas baboseiras datadas ficarei em casa mesmo), não vou ficar fazendo o Moonwalk (duvido muito que esse passo tenha sido criado por ele) e muito menos começar a comprar seus CDs.
Agora, neguinho tem um CD guardado no armário, há mais de 10 anos, e quer posar de admirador? É um pouco demais para aguentar. Tá bom, seguirei a máxima da minha mãe: "Se você não tiver nada de bom para dizer, então não diga nada". Só espero ter paciência para passar as próximas semanas ouvindo besteiras e ficar na minha, não perdendo nenhuma amizade no processo.

Obs: Notem que não usei o nome do "astro", não quero nenhum fã maluco vindo aqui enchendo o saco...

Ouvindo: White Lies - Death
via FoxyTunes
Postar um comentário

26 de jun de 2009

CONSIDERAÇÕES SOBRE A MORTE DE WAKO JACKO.




"Michael Jackson era como uma tia velha louca. Daquelas tias queridas que marcaram sua infância e que depois enlouqueceram e foram viver em um manicômio. Você gosta tanto dela que só de pensar no que ela já foi e no que ela é hoje você fica triste. De vez em quando dá aquela saudade e você passa pelo sanatório pra dar um oi… e acaba saindo feliz em vê-la, mas com mais saudades da tia de outrora…" - João Marcelo Bôscoli

A frase acima meio que resume tudo o que penso por hora. Nunca fui fã do cara(pelo menos que eu me lembre) e nunca entendi essa idolatria toda por uma pessoa que, vez por outra, era acusado de pedofilia. Foi com surpresa que recebi a notícia de sua morte. Ele já havia morrido, para mim, há pelo menos uns 15 anos. Foi a primeira vez que concordei com algo dito pela Marimoon (com o aval da Luiza, em tempo). A situação foi a seguinte: Sophia Reis (insossa como sempre) pergunta para Marimoon se ela havia "sentido" a morte do "astro", no que ela respondeu que, para ela, ele já havia morrido há tempos. Na mesma hora a Luiza percebeu que poderia falar a mesma coisa sem ser massacrada e então afirmou que ele "já havia morrido há uns 15 anos".

Então eu percebi do porquê da minha insensibilidade.
Para mim MJ não existia mais e eu não acompanhava a "carreira" do cara. O que mais me enerva em tudo isso são os "fans" de armário que apareceram, só Deus sabe de onde, depois da sua morte.

Podem me chamar de tudo, menos de incoerente, não gostava e pronto. Não é porque o cara morreu que eu tenho que adquirir uma admiração que não existia antes. Fato. Não vou dançar Thriller nem Black or White (e juro que se nos lugares que vou começarem a tocar essas baboseiras datadas ficarei em casa mesmo), não vou ficar fazendo o Moonwalk (duvido muito que esse passo tenha sido criado por ele) e muito menos começar a comprar seus CDs.
Agora, neguinho tem um CD guardado no armário, há mais de 10 anos, e quer posar de admirador? É um pouco demais para aguentar. Tá bom, seguirei a máxima da minha mãe: "Se você não tiver nada de bom para dizer, então não diga nada". Só espero ter paciência para passar as próximas semanas ouvindo besteiras e ficar na minha, não perdendo nenhuma amizade no processo.

Obs: Notem que não usei o nome do "astro", não quero nenhum fã maluco vindo aqui enchendo o saco...

Ouvindo: White Lies - Death
via FoxyTunes
Postar um comentário